6/12/2009

Vai e vem das ondas


Há aquele mar... Sossegado e calmo,
Na placidez silenciosa...
Numa mansidão que nos invade a alma...
E suas ondas no vai e vem chorosa!...
E quando se vai à noite, e rompe a aurora,
Tudo desperta no encanto desta hora!...
Dias belos e dias tristes... A alma contagiante,
Não resiste.
Amolda-se aos movimentos alusivos,
Surgem espontâneos impulsos expressivos,
De dor! Ou saltos de alegria...
É contagiante cada dia! Vejo a água!
Sinto o vento... Como corre o pensamento.

Um comentário:

ticarlos disse...

Os seus poemas encantam-me!!! A sensibilidade, a suavidade e o calor das palavras extasiam-me!!!
Um beijo de parabéns!!!